Visualizações

02/05/2015

De tempo em tempo...

E como se nada fizesse sentido, a sua espera ainda fico.
Na verdade, sempre esperei.
O que houve!?
Por onde andas!?
Em algum lugar chamado futuro, ou noutro lugar chamado passado!?
Ainda há esperança de reencontrar-te... no agora talvez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget